Linhas de Pesquisa

SUICÍDIO, PREVENÇÃO E SEGURANÇA PÚBLICA

A linha de pesquisa Suicídio, Prevenção e Segurança Pública visa investigar a magnitude e as dimensões do comportamento suicida de Profissionais de Segurança Pública. Sua importância está respaldada no alto risco de mortalidade por suicídio entre policiais no Brasil e pelo leque de consequências físicas, emocionais e sociais que provoca. A abordagem do tema é feita através de metodologias quantitativas e qualitativas, requerendo uma perspectiva multidisciplinar. O estudo das manifestações suicidas de policiais (civis; militares e federais) e bombeiros envolve: (1) a investigação das situações de exposição à violência; dos fatores de adoecimento psíquico e emocional dos profissionais da área e condições de trabalho; (2) formação de multiplicadores de prevenção de suicídio dirigida aos operadores de segurança pública; (3) capacitação em prevenção e pósvenção do suicídio dirigidas aos profissionais de saúde das instituições de segurança pública; e (4) promoção e aprimoramento dos serviços de atenção e da gestão em saúde para atender às vítimas de violência autoprovocada.

 
Pesquisadora responsável:
Profa. Dra. Dayse Miranda.
Email: dayse.miranda@gepesp.org

 
 
 
JUVENTUDE E VIOLÊNCIA

A linha de pesquisa Juventude e Violência busca investigar a vitimização de jovens e adolescentes em contextos violentos e suas consequências sociais, individuais e culturais. Sua importância está baseada nas elevadas taxas de mortalidade por homicídio e suicídio entre jovens no Brasil, nas duas últimas décadas, em particular, nas grandes periferias. O referencial analítico desta linha integra quatro abordagens teóricas. A meta é reunir possíveis explicações das teorias sociológicas de juventude e de crime/violência, como também dos estudos sociológicos e da psicologia social da família. A nossa primeira iniciativa nessa área é o projeto de pesquisa Suicídio de Jovens e Adolescentes na Baixada Fluminense (RJ): um estudo de caso. Partimos do pressuposto que maior exposição à violência letal aumenta a suscetibilidade de jovens e adolescentes ao comportamento suicida.

A contribuição desta linha está em produzir conhecimento científico a respeito de um dos mais graves riscos de vitimização que comprometem não somente a história de vida de um jovem que sofre, mas também o futuro da sociedade. Esse projeto também tem como objetivo produzir subsídios e informações que fomentem ações de prevenção do suicídio de jovens e adolescentes em escolas públicas dos municípios da periferia do Rio de Janeiro.

 
Pesquisadora responsável:
Profa. Dra. Dayse Miranda.
Email: dayse.miranda@gepesp.org

 
 
 
COMUNICAÇÃO E SAÚDE MENTAL

Num mundo hipercontectado em redes midiáticas, esta linha de pesquisa compreende a comunicação como ferramenta basilar no debate sobre saúde mental e se propõe a investigar de que modo as redes comunicacionais são utilizadas como fórum de discussão sobre temas da área. Sua relevância é evidente num momento em que temas como suicídio e depressão saíram do debate secreto e têm como palco séries de TV e games acompanhados por crianças, adolescentes e jovens. Assim, a linha de pesquisa Comunicação e Saúde Mental propõe dois eixos de trabalho: 1) avaliar de que modo as ferramentas midiáticas são acionadas para abordar o tema da saúde mental; 2) apresentar caminhos de uso responsável da comunicação em seus vários campos, seja nas campanhas institucionais, seja na ficção, seja no jornalismo. Com isso, esta linha de pesquisa almeja potencializar o uso da comunicação como uma ferramenta efetiva de promoção da saúde mental, seja na prevenção de episódios de crise, seja na posvenção (o trabalho com pessoas já enlutadas pelo suicídio de parentes).
A abordagem do tema é feita através de metodologias quantitativas e qualitativas, em perspectiva multidisciplinar. O estudo do tema da saúde mental em comunicação envolve: 1) análise da cobertura midiática, a partir das ferramentas da análise do discurso (Maingueneau, Verón); (2) construção de Manuais de Comunicação Humanizada em Saúde Mental, publicações com foco em prevenção e destinadas a operadores de comunicação, gestores e profissionais interessados no tema; (3) capacitação em comunicação e saúde mental, através de cursos para profissionais que lidam com o tema, seja internamente (corporações, empresas, escolas), seja no meio jornalístico.

 
Pesquisadores responsáveis:
Pablo Nunes
Email: pablo.nunes@gepesp.org

 
Fernanda da Escóssia
Email: fernanda.daescossia@uol.com.br