Uncategorized

GEPeSP realiza curso sobre o Manejo do Comportamento Suicida em Nova Iguaçu

Por Ana Beatriz Ribeiro,
Jornalista e pesquisadora do GEPeSP.


No sábado, 15 de junho, o Grupo de Estudo e Pesquisa em Suicídio e Prevenção – GEPeSP realizou, em parceria com a GRAPHOS Assessoria, em Nova Iguaçu, o curso sobre o Manejo do Comportamento Suicida. Nesta formação, as vagas foram abertas para o público que já trabalhava ou tinha experiência profissional com a temática do suicídio. O objetivo desta versão de curso foi fornecer fundamentos teóricos e práticos para auxiliar o exercício da profissão. Por conta disso, o grupo de cursistas contava com psicólogos, enfermeiros e pedagogos.

O curso foi dividido em duas etapas. Durante a manhã, a aula foi ministrada por Dayse Miranda, socióloga, coordenadora e pesquisadora do GEPeSP. De forma bastante didática, foram apresentadas taxas sobre o suicídio no Brasil e no mundo. Ainda foram exibidos exemplos de países que a partir dos dados coletados, puderam tomar medidas de intervenção e prevenção.

 

Os cursistas também tiveram a oportunidade de abordar as especificidades dos grupos vulneráveis ao comportamento suicida (adolescentes e jovens negros, adolescentes LGBTI, policiais, líderes religiosos e jovens indígenas), segundo dados do Ministério da Saúde e resultados de pesquisas recentes. Os participantes se organizaram em duplas, bem como elegeram um grupo de risco. O debate se deu numa roda de conversa. A experiência foi rica, pois cada um pode compartilhar suas experiências com casos clínicos.

 

 

O psicólogo Jorge Reis, que possui mais de 30 anos de profissão, também acredita que as questões sociais caminham ao lado das emocionais, por isso a importância de unir os dados estatísticos aos conhecimentos do consultório ou do hospital. “Assim que o tema do suicídio começou a aparecer com mais força no consultório, eu comecei a buscar leituras, faço grupo de estudo (…) E quando vi esse curso do GEPeSP, que também analisa questões sociais, eu já me interessei, pois com certeza vai melhorar o meu trabalho.” declarou, ele.

 

A segunda etapa do curso foi ministrada pela psicóloga Lidiane Rapouso CRP- RJ: 37742 e pesquisadora do GEPeSP. Mesclando experiências de trabalho e a vida pessoal dos participantes com os dados, foram apresentadas outras estratégias e formas de atuação para o manejo de comportamento suicida. O manejo clínico foi refletido essencialmente com dinâmicas de grupo e dramatizações. Os alunos se apropriaram das técnicas de abordagem com suicidas, apresentadas pela psicóloga Lidiane, criando e expressando na prática as suas próprias estratégias de intervenção.

 

 

O momento ápice desta reflexão foi quando a turma se envolveu na interpretação de um psicólogo na clínica com a sua paciente adolescente com histórico de tentativa de suicídio. Através da técnica do psicodrama foi possível compreender o quanto o sofrimento em torno do comportamento suicida é complexo e multifatorial. O GEPeSP, com autorização dos cursistas, compartilha registros dessas inesquecíveis e ricas cenas.

 

 

A psicóloga e participante do curso, Selma de Castro, que veio de São Paulo apenas para fazer o curso. Deixou uma mensagem para todos os psicólogos e profissionais de saúde, que ainda tenham receio de se deparar com um paciente em sofrimento existencial e ideação suicida: “Tenham um olhar, uma escuta e se preparem para poder acolher essas pessoas.”, aconselhou Selma.

 

O agradecemos a participação de todos cursistas e já estamos ansiosos pela próxima formação. Vale lembrar que, o GEPeSP também está com uma campanha aberta no Benfeitoria para dar continuidade ao programa EscolaQPrevie, que visa desenvolver habilidades emocionais para a vida de professores, funcionários, pais e alunos, bem como promover empatia com o sofrimento alheio, em algumas escolas municipais de Duque de Caxias. Clique aqui e conheça um pouco mais sobre este importante projeto.