Uncategorized

GEPeSP participa de formação de multiplicadores na segurança pública, em Brasília

Por Kathlen Barbosa,
Jornalista e pesquisadora do GEPeSP.


O GEPeSP participou da segunda edição do ‘Curso de Formação de Multiplicadores de Prevenção ao Suicídio entre Profissionais de Segurança Pública’, no Distrito Federal entre os dias 14 a 18 de outubro, na Escola de Governo do Distrito Federal. O curso, organizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal contou com a consultoria do GEPeSP para formar multiplicadores de prevenção ao suicídio no ambiente organizacional da segurança pública. A proposta é incentivar atores institucionais a construir redes formais e informais internas de proteção entre profissionais de segurança e seus pares.

Entre os 40 alunos inscritos, estiveram profissionais das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros Militar e funcionários do Departamento de Trânsito e da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Distrito Federal. As aulas foram ministradas pelas facilitadoras Cláudia Mourão, fonoaudióloga e diretora da ‘Comunicação e Expressão’, Dayse Miranda, socióloga, pesquisadora e coordenadora do GEPeSP, e Alexandra Vicente, psicóloga, colaboradora do GEPeSP e capitão da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ). O conteúdo foi divido em seis módulos: “Desenvolvendo habilidades emocionais para a vida e construindo empatia”; “Conceitos, magnitude e questões-chave sobre o suicídio”; “Prevenção do suicídio: qual é o papel do multiplicador de prevenção ao suicídio na segurança pública?”; “Como identificar uma pessoa em sofrimento psíquico?”; “Negociação com suicidas”; e “Construindo um plano de ação de prevenção”.

O diferencial desta segunda edição é a criação dos módulos “Desenvolvendo habilidades emocionais para a vida” e “Negociação em crise suicida”. O primeiro é essencial porque provoca o autoconhecimento e faz o aluno perceber suas potencialidades para ser um multiplicador de prevenção. Já o módulo de negociação oferece ferramentas como escuta ativa e comunicação não violenta para ajudar o multiplicador a atuar também em situação de crise suicida.

Apesar do nome, esse curso não habilita o aluno a ser um negociador com o tentante em crise suicida, mas sim um multiplicador de prevenção, que terá as ferramentas necessárias para abordar um colega que esteja em crise depressiva, de ansiedade, entre outros casos semelhantes. Segundo os alunos que participaram do curso, a temática da prevenção é muito importante para a área em que atuam e os temas propostos provocaram debates produtivos e construtivos.

Após a formação, inicia-se o período de estágio. Quase 100% dos participantes – 39 deles – aceitaram fazer parte dessa etapa, que é voluntária. A proposta é que formulem uma ação de prevenção ao suicídio em seu ambiente de trabalho. Eles terão 15 dias para apresentar sua proposta e 30 para testar sua ação-piloto. Ao final dessa experiência, a equipe da Secretaria, junto com a equipe técnica do GEPeSP, realizará um workshop no início de dezembro para trocar vivências e avaliar as ações-piloto desenvolvidas no período de estágio. O GEPeSP irá produzir uma publicação sobre como construir e formar multiplicadores de prevenção ao suicídio na segurança pública. Tendo os alunos que fizeram o estágio como coautores desse trabalho.